segunda-feira, fevereiro 21, 2005

nome



ensaio as letras como quem apenas experimenta a caneta e
encho páginas até a palavra deixar de ter qualquer sentido
até que a urgência do teu nome abranda
e enfim respiro

2 comentários:

Diane L. disse...

Que bonito...
Também me sinto assim...

Marta Mendes disse...

muito bonito este post

muito mesmo